Publicado por Redação em Notícias Gerais | 19/08/2016 às 10:27:45

Saiba quando é hora de começar a falar sobre finanças com o seu filho

Irmãs Anita (E), 9, e Helena, 7, começaram a receber mesada no ano passado para aprender a poupar. Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

Maria Clara Vieira, de Florianópolis, produz e vende pulseirinhas para ganhar uns trocados, anota tudo o que recebe e até aplicou o dinheiro no banco. Com apenas 10 anos, aprendeu com o avô a lidar com as cédulas e já sabe a importância de economizar dinheiro para comprar o que quer. Ensinar educação financeira às crianças é um desafio, mas essencial, principalmente, diante do consumismo aliado à crise econômica atual, conforme apontam especialistas.

– Hoje quando ela vai comprar alguma coisa, ela analisa o preço. Ela sabe como conquistar dinheiro e o que ele significa na vida das pessoas – diz o avô da menina Paulo César Vieira.

Na casa das pequenas Helena, 7 anos, e Anita, 9, esse contato ganhou força no ano passado, quando elas começaram a receber mesada. A mãe, Sabrina Junckes, explica ter adotado o método para que as meninas aprendam a guardar dinheiro para comprar algo maior no fim do ano e que a prática tem dado certo.

Para o educador financeiro Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e autor do livro Mesada não é só dinheiro, as crianças observam desde cedo a importância do dinheiro no dia a dia dos pais e começam a estabelecer alguns desejos de compra. É neste momento, por volta dos três anos, que deve iniciar a educação financeira. Já a partir dos sete, pode começar a dar mesada.

Estimular os pequenos a guardar dinheiro em cofrinhos e demonstrar quanto é preciso economizar para comprar algo são alguns passos dessa educação. Domingos acrescenta que é importante dar o exemplo. Pais que compram demais podem incentivar os filhos a seguir o mesmo caminho.

A psicopedagoga Joyce Cardoso diz que simples ações diárias podem ajudar na tarefa de educar os filhos financeiramente. Deixar a criança pagar uma compra feita em padaria e esperar o troco ou dar um valor simbólico para que ela compre algo são alguns exemplos.

Estimular que elas brinquem com jogos como Banco Imobiliário ou Jogo da Vida também pode auxiliar. A especialista ainda destaca que o ganho da mesada nunca deve ser atrelado ao bom comportamento ou ao resultado do desempenho escolar, pois não deve ser mérito por ter feito algo.

– Educar financeiramente uma criança é ensiná-la a se organizar para a vida, a ter objetivos e saber como vai conseguir realizá-los – afirma Joyce.

 

Fonte: Diário Catarinense


Tags: sem tags no momento!


Deixe seu Comentário:

=