Publicado por Redação em Carreira | 12/01/2022 às 09:55:48

Quais as características do profissional que o mercado quer para 2022?



Mesmo antes da pandemia da Covid-19, o home office já se mostrava uma realidade para a maioria das empresas. É o que comprovou uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o estudo, em 2018, pelo menos 3,8 milhões de brasileiros trabalhavam dentro de casa – um crescimento de 21% em relação a 2017, o maior número registrado até então. Porém, entre maio e novembro de 2020, um novo recorde foi batido quando a quantidade de pessoas saltou para 8,2 milhões, o que representa um crescimento de mais de 115% em apenas dois anos.

Na DISYS Brasil, consultoria de TI focada em serviços de Staffing, Hunting e Managed Services, a percepção é a de que os profissionais estão cada vez mais valorizando a comodidade do trabalho remoto. Ao mesmo tempo, os recrutadores têm descoberto que não basta um bom currículo para preencher uma vaga. Hoje, mais do que nunca, algumas habilidades interpessoais chamam bastante a atenção e podem fazer a diferença em um processo seletivo.

Daniela Cristina Alves Silva, Coordenadora de R&S na DISYS Brasil, lista quatro características fundamentais que têm sido extremamente valorizadas nos processos de recrutamento e seleção da multinacional.

Autogerenciamento

Ainda que o home office já tenha se mostrado produtivo, o profissional precisa dessa habilidade para realizar suas entregas no prazo, mesmo e principalmente estando longe do escritório e da sua liderança.

Comunicação

Com a distância, comunicar com clareza todas as informações, sem dar abertura para duplas interpretações, se tornou mais que essencial. Incluindo também a capacidade de falar com profissionais de todos os níveis de conhecimento e de diferentes nacionalidades, algo comum na rotina de trabalho dentro de uma multinacional como a DISYS.

Empatia

Sentimentos como insegurança, ansiedade e luto, trazidos pela pandemia, fizeram disparar o número de casos de depressão no Brasil. Nesse cenário, a empatia é mais que necessária. “É um fator importante para o convívio social e não seria diferente no ambiente profissional. Por isso, é nossa prioridade dar atenção às questões humanas e emocionais. O profissional que consegue mostrar aprendizado e compaixão mesmo diante de adversidades é capaz de fazer parte de uma equipe forte e saudável”, acrescenta Daniela.

Flexibilidade

Ao que tudo indica, os novos e diferentes modelos de trabalho vieram para ficar. A DISYS Brasil, por exemplo, adotou formalmente o modelo híbrido de trabalho para 2022. Por isso, segundo Daniela, é importante que o colaborador tenha a disponibilidade de se adaptar às possíveis mudanças que esse cenário de incertezas pode ocasionar.



Fonte: Mundo RH


Seguro Educacional

Tags: sem tags no momento!


Deixe seu Comentário:

=